Dados do censo EAD apontam que cerca de 70% dos alunos dessa modalidade de ensino, precisam conciliar estudos e trabalho durante os seus cursos. Dentre as principais características apontadas por estes, para a escolha desse modelo de ensino, estão a flexibilidade de horário, a flexibilidade de local e a interação proporcionada por tecnologias que hoje permitem uma experiência muito rica entre professor e aluno no processo de ensino-aprendizagem por meio de mecanismos e de sistemas que integram as turmas, que integram a comunidade acadêmica e são utilizadas pelas instituições de ensino para prestação de cursos à distância.

Agora durante a pandemia, muitas instituições foram forçadas a escolher plataformas, sistemas que utilizem esses modelos de interação para a gestão dos seus cursos. Algumas plataformas são disponibilizadas gratuitamente, outras são gratuitas até determinado perfil de utilização e outras são inteiramente pagas. Dentre essas ferramentas destacam-se: Zoom, Meet e Teams da Microsoft, além de outras ferramentas que são utilizadas. E fica a dúvida dentro da gestão institucional: utilizar essas ferramentas? Partir para uma solução própria? Utilizar algum outro sistema? Que tipo de flexibilização de uso a minha instituição vai ter se eu utilizar a ferramenta A, B ou C? 

Bom, essas ferramentas, principalmente as maiores: Zoom, Meet ou Teams, são direcionadas a utilização para reunião de pessoas. Reunião em troca de informações em vídeo, áudio, texto. Algumas vão um pouco além, que tem ali ferramentas para avaliações e outros controles que são importantes nesse processo de ensino. Porém, devemos entender que: Se encontrar com os alunos, fazer uma aula seja em vídeo, áudio ou até mesmo uma avaliação ou apresentação online. Isso é apenas parte das tarefas que são realizadas dentro do processo de ensino, dentro da gestão pedagógica, dentro da gestão administrativa da relação entre a instituição e seus alunos. 

Além desses pontos, existem interações, controles de documentos e controle de dados que são inerentes às práticas do ensino, que devem ser controlados pela instituição por meio de ferramentas direcionadas à gestão dos seus processos internos. Portanto, é fundamental que ao escolher uma ferramentas dessas, a instituição também trabalhe em uma outra ponta, com a sua ferramenta de gestão no modelo de integração, que permita o envio de informações e a recepção de dados e que esta troca possa gerar registros, gerar controle dentro da sua secretaria acadêmica, dentro das coordenações, dentro de todos os departamentos que prestam esse atendimento aos alunos. 

É de fundamental importância, a percepção de que por mais que uma ferramenta seja gratuita, em determinado momento ela vai te cobrar por alguma função a mais e muitas instituições acabam optando por utilizar a ferramenta gratuita, que tem a sua limitação o que acaba às vezes quebrando todo esse processo de utilização. Então vale sim dar uma olhada no que a ferramenta oferece e as possibilidades de integração com o seu software de gestão educacional. Essas plataformas geralmente não emitem por exemplo boletos, às vezes não fazem atendimento na sua ouvidoria ou não prestam atendimento dentro das coordenações para atendimento online aos alunos. E isto, são características que devem constar dentro de uma estrutura EAD, de uma estrutura remota de atendimento. 

O encontro em sala de aula, a live do professor para seus alunos, a troca de informações naquele momento é algo bastante rico e está bastante difundido por dentro do meio educacional mais a interação da instituição com o seu público, seus alunos e professores vai além disso. É preciso que se invista em um atendimento remoto e controles eficientes que gerem documentação para o controle pedagógico deste cursos, desses alunos, dessas cadeiras. Ou seja, é necessário que a instituição tenha uma preocupação com a guarda dessas informações e com a gestão desses dados como forma de gerar um maior controle, uma maior eficiência na administração pedagógica e da administração da instituição como um todo. Como também para gerar registros e guarda de dados que serão utilizados na prestação de contas dentro do processo de avaliação que o MEC efetua junto a estas instituições. 

Então fica aí a nossa dica em relação a adoção de ferramentas para gestão educacional EAD e vale também salientar que é importante que a instituição esteja atenta aos dados e as informações que são trafegadas porque é dela a responsabilidade de gerenciar!

Comente a matéria abaixo

Compartilhe esta notícia